terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Estas e outras perguntas...

Sócrates comprometeu-se a apoiar Alegre nas presidenciais do próximo ano, em troca do apoio seu nas legislativas? Esse compromisso (a ter existido) será para manter?
Se o PS apoiar o poeta veremos Louça e Sócrates de mão dada gritando “Alegre! Alegre!”?
Não obstante a curtíssima memória dos portugueses, correria o PS o risco de se descaracterizar caso se confirme esta aliança com a esquerda radical?
No caso de apresentar um candidato próprio deverá o PS apresentar um nome forte ou arriscar-se a mais uma humilhação? José Sócrates tem mais a ganhar com Cavaco em Belém ou com um presidente socialista?


1 comentário:

  1. Para nos animar um pouco!!!
    Mario Vargas Llosa refere na edição de hoje do jornal “EL PAÍS” a propósito das eleições Presidenciais no Chile que deram a vitória ao candidato da direita, Sebastian Piñera, que num encontro que teve com este, três dias antes do acto eleitoral, lhe perguntou qual queria que fosse a sua melhor contribuição no governo se ganhasse as eleições. “Dar um impulso decisivo ao nosso plano de oito anos, para crescer a um prometido 6% anual, algo perfeitamente realizável. Se o conseguirmos, o PIB, que é agora de 14.000 dólares terá um aumento para 24.000. Alcançamos Portugal”, Chile deixará então o subdesenvolvimento e será o primeiro país da América Latina a integrar o primeiro mundo.

    Tendo o nosso governo copiado o modelo Chileno de Avaliação de Professores, eis senão quando que passamos a ser o modelo a seguir.
    Um abraço,
    Pedro Nunes

    ResponderEliminar